Agendamento de consultas e exames médicos online e via aplicativo atrai milhares de usuários

Agendamento de consultas e exames médicos online e via aplicativo atrai milhares de usuários

São Paulo 02/05/2017 – Usuários de smartphones possuem, em média, 22 aplicativos em seus aparelhos. Pensando nisso, empreendedores brasileiros investiram em uma ferramenta de agendamento de consultas e exames médicos online e via aplicativo, que promete ser um forte aliado também de profissionais da área da saúde, e que já tem atraído milhares de pessoas



O número de usuários de smartphone no Brasil aumentou 48% em apenas um ano. Já no final de 2015 eram mais de 76,1 milhões de pessoas com acesso aos aparelhos. Essa expansão tão eminente está diretamente relacionada à utilização de aplicativos – usuários de smartphones possuem, em média, 22 aplicativos em seus aparelhos.

E existe aplicativo para atender às mais peculiares necessidades de usuários que, cada dia mais, utilizam celulares e tablets para a facilitação da vida.

Pensando nisso, empreendedores brasileiros investiram em uma ferramenta de agendamento de consultas e exames médicos online e via aplicativo, que promete ser um forte aliado também de profissionais da área da saúde, e que já tem atraído milhares de pessoas.

“A RedeCare surgiu pela observação das necessidades das pessoas em realizar consultas e exames. Atualmente os planos de saúde, além de caros, restringem o acesso de pessoas físicas, crianças menores de 6 anos e idosos”, explica Angelo Epifanio, um dos quatro sócios do negócio.

Angelo atua no mercado de saúde como corretor há mais de 20 anos, e é sócio de uma corretora que comercializa planos de saúde em todo o Brasil.

A era dos aplicativos, além de facilitar o dia a dia dos consumidores neste período de crise brasileira e suas implicações no segmento da saúde, se reflete também na vida profissional de médicos. Esses profissionais vivem brigando com os planos de saúde por receber pouco nas consultas e demorar para receber.

De acordo com o empreendedor Jorge Botelho, “apesar de alguns médicos questionarem, a maioria só tem a opção de se filiar a planos de saúde para conseguir ter pacientes para atender e, por outro lado, necessita conhecer outras formas de vender os serviços, deixando-o mais acessível à população”, completa.

Tradicionalmente, um médico recebe pela consulta feita a um plano de saúde entre R$ 60 e R$ 80, pagamento que pode ser realizado até 60 dias depois. Contudo, quando um paciente faz orçamento, o valor da consulta particular invariavelmente custa cerca de R$ 220. “Muitas vezes, esse paciente está disposto a pagar um valor de até R$ 150 ou mesmo tem plano de saúde que o reembolsa esse valor. O médico acaba perdendo esse paciente”, informa Gilson Burmann, também empreendedor e sócio do negócio.

“Em uma era em que os aplicativos são muitos e estão facilitando a vida das pessoas, percebemos que restava ainda uma plataforma que pudesse atender a demanda dos brasileiros que já não contam com planos de saúde, e que precisam de um guia médico. Observamos isso, e especialmente a procura de clínica popular e consultas médicas por parte da população BCD, que não costuma ser fácil”, explica Joilton Mello, quarto membro da sociedade que já foi selecionada para participar da StartUpSintra em Portugal.

“Observamos ainda”, continua ele, “que os profissionais da área da saúde têm sido fortemente impactados pela crise, e que estes também seriam muito beneficiados com o nosso negócio. Então criamos a RedeCare, que têm atraído e possibilitado que consumidores alcancem o que necessitam, e médicos se sintam confortáveis para credenciar consultório médico conosco e prosperar”, finaliza Joilton.

O aplicativo RedeCare está disponível gratuitamente para download. Mais informações no site: www.redecare.com.br.